Planeamento de sistemas inteligente para processos industriais - sistemas de infravermelhos num único local

Endurecer tinta em pó, secar tinta líquida, soldar plásticos – existem infindáveis etapas de produção industriais que necessitam de calor. O rápido aquecimento e a reduzida necessidade de espaço tornam os sistemas de infravermelhos uma fonte de calor atrativa. A adaptação ao produto e ao processo exige contudo uma conceção bem planeada do sistema.

Intelligent planning of plants for industrial processes

Os raios infravermelhos eficientes e controláveis são o coração de qualquer sistema. Asseguramos que estes otimizam o seu processo.

  • Simulação CAE
  • Conceito de sistema
  • Teste prático
  • Construção
  • Construção de módulos e comando
  • Desenvolvimento de soluções completas, incluindo periferia
  • Montagem, instalação e colocação em funcionamento no local
  • Assistência e manutenção no local

Ventagens

  • Simplificação e aceleração do projeto
  • Adaptação ideal ao processo
  • Poupança de energia

Exemplos de sistemas

  • Estufa de secagem com sistema de transporte
  • Sistema de infravermelhos com extração, medição de temperatura e comando
  • Sistema de IV combinados, catal. gás, elétrico e ar quente

Veja por si mesmo o que é possível realizar com os sistemas catalíticos de gás.
Estes consistem em alguns exemplos de aplicação:

Infrared oven reflow process

A Wilms constrói sistemas galvânicos em todo o mundo para estanhagem de aço e chapas não-ferrosas. No sistema Reflow aplicam-se já há muito tempo estufas de infravermelhos da Heraeus. Os responsáveis pelo projeto da Wilms procuravam possibilidades de poupança de energia para o processo e alternativas eficientes a nível energético. Após a partilha de opiniões com os especialistas em aplicações da Heraeus, encontrou-se rapidamente uma solução – com as inovadoras estufas de infravermelhos MAX.

Infrared preheating glass bottles

Durante o enchimento dos recipientes existe um perigo considerável de ocorrência de choque térmico, o qual provoca o salto ou a fragmentação do vidro, sobretudo no caso em que a diferença de temperatura entre o líquido e o vidro é superior a 42°C. Uma solução consistia numa estufa de infravermelhos de quatro metros com uma potência nominal de 109,2kW, a qual aquece os recipientes vazios. A estufa consiste em três zonas, na terceira zona assegura-se através de um regulador PID que os recipientes possuem a temperatura adequada para o enchimento.

Solicite o seu exemplo de aplicação!

A sua aplicação não consta na lista? Os infravermelhos podem muito mais! Tire as suas dúvidas connosco!

to top